O que você precisa saber para alugar um imóvel?

Alugar um imóvel cria muitas expectativas e dúvidas de como proceder quanto à documentação, contrato e taxas. Para evitar arrependimentos e complicações, fizemos uma seleção de informações importantes para a locação de imóveis. Confira:

1- Entenda a sua necessidade
Sempre insistimos nesse ponto, pois é necessário definir o que é essencial e relevante para você neste momento. É necessário saber que além do que você quer, existe o que você realmente precisa. Alugar um imóvel que acomode toda a família? Casa ou apartamento? Quantidade de dormitórios? Com ou sem sacada? Com ou sem churrasqueira? Com ou sem vaga de garagem? Com ou sem área de festas? Saiba a resposta dessas perguntas e defina o seu perfil de imóvel.


2- Defina a imobiliária
Essa é uma dica valiosa! Alugar um imóvel e poder contar com a ajuda de quem entende e conhece do assunto, é de suma importância. Então escolha uma imobiliária de confiança!

Sabemos que o aluguel contratado direto com o proprietário do imóvel, muitas vezes pode parecer mais fácil, justamente pelo fato de não existir tanta “burocracia”. Fato este que é recheado de riscos ocultos, tendo em vista que esta modalidade de contrato, na maioria das vezes, não segue a legislação pertinente, acarretando desacordos comerciais e controvérsias no que se referente à responsabilidade de cada um.

Contar com o auxilio de uma imobiliária faz com que você economize tempo e evite problemas que talvez não consiga identificar sozinho, garantindo que você alugue o imóvel desejado e, principalmente, de que fará um bom negócio.

Na Orbi você pode alugar um imóvel escolhendo a sua garantia locatícia e facilitando a sua locação. Suas opções são: cartão de crédito (Credpago), fiador, título de capitalização ou seguro fiança.

3- Estabeleça o quanto pode gastar
O valor do aluguel deve ser um terço da sua renda. Lembre-se que além do aluguel, ainda existem outras despesas fixas e variáveis, tais como: água, energia, gás, condomínio e seguro incêndio. Liste os seus gastos mensais, ou seja, despesas com saúde, lazer, alimentação e outros. Com isso você conseguirá descobrir o valor disponível para investimento, onde ficará muito mais fácil estabelecer o limite máximo a ser pago de aluguel.


4- Escolha a localização
Chegou a hora de escolher a região em que você gostaria de morar. Para saber o bairro que melhor atende as suas necessidades, o recomendado é priorizar por locais que sejam acessíveis ao seu local de trabalho ou próximo da escola, faculdade dos seus filhos, por exemplo.

5- Faça a vistoria
A vistoria visual, que identifica os defeitos a olho nu, deve ser feita antes da entrega das chaves. Mas, fique sempre atento: alguns contratos tendem a ser muito superficiais, alegando que todo o imóvel está em perfeitas condições. Aconselhamos então, que você faça a vistoria com uso de fotos e vídeos, identificando todos os furos na parede, riscos nos pisos e até problemas em fechaduras, portas e janelas. Lembre-se de guardar todo o material até a devolução do imóvel.

Deteriorações causadas devidas ao mau uso são de responsabilidade do locatário. Já os chamados vícios redibitórios – aqueles problemas ocultos que já existiam no imóvel antes da entrega das chaves – devem ser corrigidos pelo próprio locador. Os problemas ocultos, como os na rede hidráulica ou elétrica, são sempre identificados com o uso contínuo e devem ser alertados até o tempo máximo previsto em contrato, que varia de locação para locação.

Na Orbi, após o recebimento das chaves, você possui um prazo previsto em contrato para uma contra vistoria. O que facilita muito, pois você poderá conferir com calma.


6- Leia bem o contrato
O contrato deve refletir toda a negociação entre locador e locatário, incluindo o tempo de permanência no imóvel e o laudo da vistoria de entrada. Durante o prazo de vigência contratual, o locatário poderá desocupar o imóvel pagando a chamada “multa contratual”, proporcional ao período de cumprimento do contrato pendente. No entanto, costuma-se pedir uma quantia referente a três meses de aluguel. Vale, portanto, negociar com o locador um tempo mínimo de permanência, para ser isentado da multa após determinado período.
Locador e locatário devem assinar e reconhecer suas assinaturas no contrato em um cartório.
No caso de apartamentos, o inquilino também recebe o regulamento interno de condomínio, fornecido pela administradora e entregue pela imobiliária, informando as regras para mudanças e condições para que seja realizada.

7 – Fique de olho nos reajustes e cobranças
Por lei, o aluguel pode sofrer reajuste anual, a fim de corrigir a inflação da moeda. Caso o aluguel esteja defasado, o locador, ou mesmo o próprio locatário, podem pedir a revisão a cada três anos. Neste caso, o ideal é que as partes cheguem a um consenso.

No caso de apartamentos, atente-se ao valor do condomínio. É proibido repassar ao locatário as despesas de condomínio extraordinárias, ou seja, as que estão relacionadas à construção de benfeitorias no edifício, tais como a ampliação da garagem, piscina ou área de lazer. O inquilino só é obrigado a arcar com as despesas relacionadas à conservação, como pintura e manutenções em geral.



São muitos detalhes, que com o esclarecimento correto tornam-se fáceis de serem administrados.


Agora que você já sabe como alugar um imóvel de maneira clara, entre em contato conosco para conhecer as melhores opções de imóveis em Blumenau.

A Orbi Imóveis está a mais de 36 anos no mercado imobiliário, encontrando o melhor negócio para você!

Deixe uma resposta